Total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CorelDRAW X7 + Crack - Português-BR 32Bits - Completo


CorelDRAW Graphics Suite X7 + Ativador, está com uma nova aparência, novas ferramentas essenciais e grande melhoria nos recursos, apresenta um mundo de novas possibilidades criativas. Projetamos várias novas áreas de trabalho que refletem o seu fluxo de trabalho natural, para que tudo esteja sempre exatamente onde você precisa, no momento necessário Seja para criar gráficos e layouts, editar fotos ou desenvolver sites, essa suíte completa de software de design gráfico ajuda você a desenvolver o seu caminho.

INFORMAÇÕES: 
Nome: CorelDRAW Graphics Suite X7
Tamanho: 405,8 MB (32 Bits Incluído)
Formato: EXE
Idioma: Português Brasil
Crack: Incluído


ANTES DE INSTALAR O PROGRAMA DESCOMPACTE O ARQUIVO
COMO INSTALAR:

1. Instalar CorelDraw Graphics Suite X7.
2. Nome do Usuário: Escreva o que você quiser.
3. Marque "Eu não tenho um número de série e gostaria de testar o produto".
4. Clique em Avançar.
5. Proceda com a instalação conforme seu gosto (Característica ou Personalizada).
6. Interrompa sua conexão com a Internet (na dúvida, desplugue o cabo).
7. Abra o CorelDRAW X7 e clique em Continuar.
8. Na janela de registro, escolha "Registrar Depois" e continue.
9. No Menu Ajuda, clique em Login.
10. Na parte inferior da janela, clique em "Já adquirido".
11. Clique em "Digitar um número de série".
12. Use o Keygen para gerar um número de série. 

*** IMPORTANTE ***  - Selecione 
o produto CorelDRAW Graphics Suite X7. Não feche o Keygen.

13. Copie e cole o serial e clique em "Ativar Off-line".
14. Na próxima janela, copie o "Código de instalação:" para o Keygen que você 
deixou aberto. Não esqueça de copiar os 'tracinhos' também.
15. Clique em "Generate Activation Code", copie e cole na janela de ativação
do Corel
16. Clique em "Continuar".

OBSERVAÇÕES: Vai aparecer uma mensagem de erro. Clique OK e ignore. É apenas um bug.

17. Reconecte à Internet.
18. Reinicie a máquina e aproveite!
19. Na janela que solicita que você crie uma conta Corel, clique em "Fechar".
________________________________________________________________________________________
APRENDA NO VIDEO ABAIXO COMO BAIXAR COM O MEGA



quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Governo faz aliança de defesa

O Poder Público anunciou nova política nacional de segurança cibernética e a formação de uma escola nacional de defesa.



Durante a quinta edição do Security Leaders – Congresso, Exposição e Premiação de Líderes e Profissionais de Segurança da Informação e Risco, realizado em São Paulo, representantes do Exército, Polícia Federal e governo revelaram a criação de uma política nacional de segurança cibernética e a formação da escola nacional de defesa cibernética.

Raphael Mandarino Jr. (chefe da Divisão de Segurança do Gabinete de Segurança Institucional-GSI, da Presidência da República), Carlos Sobral (delegado de Crimes Eletrônicos da Polícia Federal), Paulo Sérgio Melo de Carvalho (general de Divisão e chefe do CDCiber – Centro de Defesa Cibernética do Exército Nacional) e Emerson Wendt, delegado da Polícia Civil do Rio Grande do Sul fizeram o anúncio.

Sobral, da Polícia Federal, ressaltou a necessidade do Brasil avançar na estratégia nacional de segurança cibernética. “No campo normativo e estrutural tivemos avanços nos últimos anos, mas agora, é preciso formular e implantar essa política nacional, em médio prazo, com a participação do setor público e privado”.

Na visão de Mandarino Jr, do GSI, o momento é propício para a iniciativa, aproveitando o êxito do trabalho promovido em grandes eventos, realizados no Brasil nos últimos anos, como a Rio+20 (2012), Jornada Mundial da Juventude (2013), Copa das Confederações (2013) e Copa do Mundo (2014).

O general Carvalho afirmou que a Universidade de Brasília (UnB) está elaborando o projeto executivo da escola nacional de defesa cibernética. “Pensamos em quatro pontos fundamentais. Sensibilizar e conscientizar a sociedade e formar e especializar profissionais na área”.

Na opinião de Mandarino Jr., do GSI, a criação dessa escola nacional é vital. “Hoje, a maior fragilidade nas questões de defesa cibernética é a capacitação de pessoas. Os ataques se multiplicam por causa da deficiência nessa capacitação”.


Na opinião de Mandarino Jr., do GSI, a criação dessa escola nacional é vital. “Hoje, a maior fragilidade nas questões de defesa cibernética é a capacitação de pessoas. Os ataques se multiplicam por causa da deficiência nessa capacitação”.

Para Wendt, da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, o usuário precisa ser educado ciberneticamente. Todos concordaram que esse tipo de problema cresce, a partir do momento que o acesso à Internet também se torna mais fácil. “É muito bom que mais pessoas tenham acesso à web, mas é fundamental combater as dificuldades que surgem disso, com soluções cada vez mais rápidas”, explica Sobral.